quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Ofir

É uma praia nortenha fantástica, com uma marginal lindíssima, um pinhal extenso e inspirador e com um ambiente jovem tendo em conta que tem 2 das discotecas mais atrativas do Norte (o BibaOfir e o Pacha).
Passo cá Verões inteiros e é um sítio que me acalma, porque aqui reflito sobre tudo... A tranquilidade deste local convida-me a entrar no meu interior e a perceber alguns dos meus dilemas morais. Não vou dizer que isso me deixa alegre, porque tal como Pessoa transmitiu a existência da « Dor de Pensar» e a felicidade do inconsciente,  aquele que não tem noção da sua condição. Ofir traz-me esta profundidade mental, que me leva a caminhos com os quais me identifico, mas ao mesmo tempo me distanciam e me comprimem.
No 5 para a Meia-Noite o Miguel Sousa Tavares disse: "As pessoas deviam desligar o telemóvel e tudo o que está à sua volta, no silêncio... Para pensar... Nem que seja por meia hora....".


Quando estou demasiado dentro de mim, ponho a cabeça de fora e começo arejar as ideias ao sabor de uma violenta e habitual "Nortada" :)

Um comentário:

Carolina disse...

Eu gosto muito de Ofir mas não gosto que estejas longe de mim :x
A distância não presta, é tudo o que tenho a dizer.