quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

RU pondera permitir bebés de três pais

Cientistas britânicos estão a desenvolver uma técnica revolucionária de fertilização in vitro que recorrerá a uma fração de ADN de um terceiro pai para evitar doenças hereditárias

Um fundo benemérito de sete milhões de euros foi atribuído no Reino Unido para o desenvolvimento de uma técnica revolucionária de fertilização in vitro, que envolve a transferência do ADN dos pais para um óvulo de uma dadora, de modo a evitar que problemas genéticos, que afetam o coração, músculos ou o cérebro, sejam transmitidos para os bebés e para futuras gerações.
A Welcome Trust anunciou a atribuição do fundo à Newcastle University na semana passada, o que está a gerar grande controvérsia pois a legislação britânica não permite sequer este tipo de tratamento.
O Ministério da Saúde ordenou uma consulta pública sobre se a técnica que está ser desenvolvida em laboratório pode vir a ser utilizada em pacientes. A consulta pública será seguida por debate na Câmara dos Comuns sobre a ética deste tipo de técnica.
Caso os critérios políticos e científicos sejam satisfeitos, o Ministério da Saúde poderá levantar as restrições de modo a que a terapia seja experimentada em humanos daqui a dois ou três anos.

99,8% do ADN dos pais


Os investigadores alegam que os bebés vão herdar a identidade genética dos seus pais verdadeiros, apesar de terem algum ADN da dadora.
99,8% do ADN que provem do pai e da mãe é guardado no núcleo das células e apenas uma pequena fração reside fora do núcleo no mitocôndria, provindo apenas da mãe.
A técnica envolve retirar um óvulo da mãe e outro de uma dadora e remover o núcleo do óvulo da dadora, substituindo-o pelo núcleo vindo da mãe.
O bebé receberia assim o ADN mitocondrial da dadora e o restante ADN dos pais.









Noticia retirada do expresso online.





Comentário: A Ciência está atingir proporções que são de uma inovação e de uma novidade que a mim me assustam particularmente.

4 comentários:

Carolina disse...

A ti e a mim! É bom ser possível fazer cada vez mais coisas, mas não sei se será viável e correcto colocá-las em prática!

Bernardo disse...

Obrigado :D

Joy disse...

Concordo contigo, penso que existem certos aspectos na natureza que não devem ser mechidos...

Tiksa disse...

A ciência é um mundo fantástico mas ao mesmo tempo horrível, nada é impossível e todas as barreiras são transpostas. O grande problema não está nos cientistas mas sim nos outros que usam as suas criações, ser cientista é ser "deus" mas ao mesmo tempo "demónio" porque o que criam para o bem logo o usam para o mal. Esta nova invenção é incrível, com ela poderemos impedir que milhões de crianças no mundo possam nascer deficientes e ficarem dependentes para o resto da vida sem terem a mínima oportunidade de aproveitarem a vida em pleno só espero que mais uma vez não usem o bem criado por uns para o mal de muitos.