quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Eutanásia... A favor ou contra?

   Este foi um desafio colocado pela Lúcia do blog "Entre Tentações" , escrever uma opinião sobre a Eutanásia (morte medicamente assistida) e eu como gosto de desafios, aceitei :)

   Dando uma definição mais completa, a Eutanásia é a prática pela qual se acaba com a vida de uma pessoa, que possui uma doença incurável de maneira controlada e assistida por um especialista.

   Basicamente, eu sou a favor que a Eutanásia faça parte da lei nacional... 

   Vamos pôr isto por termos, quando o doente está consciente e ciente da sua situação de doença terminal ou de outra situação irreversível, acho que as opções devem ser muito mais abrangentes e dar-lhe a margem de escolha que possa facilitar o livre-arbítrio da tomada da sua decisão. Independentemente, de estarmos a falar em situações de este ser um caminho que evite o sofrimento e a dor das pessoas, que se encontram em fase terminal da doença, eu acho que o que está acima de tudo isto é a dignidade do doente. O doente merece ser ouvido (em caso de perceção da sua condição), se  não for este o caso, existe um segundo elemento (a família) que tomará a melhor decisão possível pela integridade e pela qualidade de vida do seu familiar nesta situação.
    Quanto mais se respeitar e se aumentar a margem de escolha do doente, mais qualidade vida lhe oferecemos e mais ética e coerência mostra a legislação face ao doente.
   
     Porque o que está em causa é o final de um projeto de vida e se existe "o tal respeito pela vida humana" que os opositores desta opção da morte medicamente assistida defendem, a vida humana sai muito mais valorizada se a sua vontade for prioridade, em vez de se submeter a uma legislação unidireccional....




5 comentários:

Carolina disse...

Eu sou completamente a favor da eutanásia. Se a pessoa achar que é mesmo isso que quer, que não quer passar por mais uma fase de tratamentos ou que a sua vida será dolorosa, tem todo o direito de escolher. Claro que o problema na sua legislação não é este... Cada caso é um caso e a lei é geral por isso é complicado legislar esta prática mas, como já disse, sou completamente a favor.

Marta disse...

é um tema bastante polémico, mas se a pessoa não quiser sofrer mais, quem somos nós para não ajudá-lo a acabar com o sofrimento? Se ele pedir é justificável.

lu de lúcia disse...

só vi agora, desculpa.
gostei muito e fiquei ainda mais surpreendida que não só aceitaste mas realizaste o desafio tão depressa.
não há palavras, falas de uma forma fantástica e tenho de concordar com tudo o que disseste e principalmente pela ordem que disseste. primeiro o doente e depois a família, mas é de facto um assunto muito delicado. afinal de contas vivemos a não querer morrer e um dia por tanto sofrimento decidem que querem por fim à vida deles. não sei já viste um filme, acho que é espanhol a retratar este assunto. costuma ver-se na escola. tenho o nome mesmo na ponta da língua, mas não consigo lembrar-me. depois diz-me se sabes do filme que falo. e depois conversamos melhor

Pulseira disse...

Por mais duro que seja, mesmo para quem dá esta opinião, porque eu acho que até estas opiniões doem, eu também sou a favor. Quando digo que sou a favor, parece que algo dói dentro de mim, mas acho que não deve ser maior do que aquela dor que estes doentes sentem quando dizem, CHEGA! eles só querem parar de lutar para não sofrer mais.
Sou a favor quando já não existe qualquer esperança, quando o sofrimento já passa o aceitável para uma cura, quando a vida deixa de ser um sonho para quem deseja que ela acabe.
Admito que é um assunto delicado, muito delicado, mas é necessário pensar nele de todas as formas, pois não pode ser perigoso, haver erros, ou simplesmente ser uma facilidade.

Carolina disse...

Acho que o filme do qual a Lu de Lúcia está a falar é o "Mar Adentro". Vale a pena, é muito bom mesmo.